Donald Trump diz que presidente do México 'tem trabalhado tão bem' com os EUA e voltou atrás temporariamente em decisão.

Um ônibus incendiado na cidade de Culiacán, no México, em 18 de outubro de 2019.

A região é controlada por cartéis Jesus Bustamante/Reuters O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (6) que vai suspender temporariamente a designação dos cartéis de tráfico de drogas do México como organizações terroristas. Segundo o norte-americano, todo o trabalho necessário para declarar os cartéis como terroristas estava pronto.

Porém, Trump disse no Twitter que voltou atrás após um pedido do presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador. "Pelo pedido de um homem que eu gosto e respeito, e que tem trabalhado tão bem conosco, nós vamos suspender temporariamente essa designação e acelerar nos nossos esforços conjuntos para lidar decisivamente com essas organizações terríveis e cada vez maiores." Initial plugin text Quando um grupo é declarado terrorista, a legislação norte-americana estabelece punição às pessoas nos Estados Unidos que ofereçam apoio ou apoiem a organização assim designada.

Além disso, integrantes da facção designada terrorista não podem entrar no território dos EUA ou podem ser deportadas. Cartéis mexicanos Caminhões incendiados em Culiacán, no oeste do México, durante operação para libertar Ovidio Guzman, filho de 'El Chapo' STR/AFP No fim de novembro, Trump disse em uma entrevista de rádio que trabalhava para avançar na declaração dos cartéis mexicanos como "organizações terroristas".

Segundo ele, as tratativas para concluir essa designação começaram haviam três meses. "Você sabe que dar essa classificação não é tão fácil assim, precisa passar por um processo.

E estamos bem nesse processo", disse. A declaração gerou reações negativas por parte do governo mexicano.

O chanceler do México, Marcelo Ebrard, disse que não esperava que os Estados Unidos tomassem uma medida como essa. Em fevereiro de 2017, semanas depois de tomar posse, Trump assinou ordens para acabar com os cartéis que atuam nos EUA.

Sem citar o México, o presidente disse que a medida estava dirigida contra "as organizações criminosas transnacionais". Confrontos no México Sede da prefeitura no México com perfurações a tiros e vidros quebrados Gerardo Sanchez/AP No fim de semana passado, um confronto entre policiais e criminosos deixou 21 mortos no estado mexicano de Coahuila, na fronteira com os Estados Unidos.

Na ação, as autoridades apreenderam 17 veículos, quatro deles com armas calibre 50, cerca de vinte armas pesadas e milhares de cartuchos de vários calibres.

Veja no vídeo abaixo. Confronto entre polícia e cartéis de drogas deixa 21 mortos na fronteira do México e EUA