Pesquisa aponta 7 destinos, nacionais e internacionais, que ficaram mais baratos em novembro de 2018, na comparação com outros meses daquele ano.

Óbidos, em Portugal, é um mergulho na história Globo Repórter/ Rede Globo Novembro está logo aí: se você ainda pensa em viajar nesse mês, veja os destinos que tiveram maior queda de preço da hospedagem na mesma época, no ano passado. A análise foi feita pelo site Booking, considerando mil destinos populares e acomodações de 3 e 4 estrelas. Nazaré, Portugal 51% mais barata do que em agosto, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Nazaré é uma vila portuguesa, do distrito de Leiria, muito conhecida pelas ondas gigantes, fenômeno que ocorre entre outubro e fevereiro e que atrai muitos surfistas e amantes de outros esportes aquáticos, como o kitesurf. Os turistas que procuram outras distrações, além das praias, podem visitar o bairro Sítio, no topo de uma falésia, onde há sempre muito agito, barraquinhas de artesanato local e também a capela de Nossa Senhora de Nazaré. Reveja o Globo Repórter em Portugal Óbidos, Portugal 24% mais barata do que em agosto, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Charmosa e perto da capital Lisboa, Óbidos fica cercada por uma grande muralha de época romana.

São paradas obrigatórias: o Castelo de Óbidos, o Aqueduto, a Rua Direita e a Porta da Vila, decorada com tradicionais azulejos portugueses que representam a Paixão de Cristo. Sintra, Portugal 33% mais barata do que em agosto, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Sintra é uma vila portuguesa que parece cenário de contos de fadas.

Eleita pela Unesco como patrimônio mundial, Sintra é repleta de castelos, palácios, museus, quintas e a encantadora Floresta Relíquia.

Os pontos turísticos que devem estar no roteiro de quem visita a cidade são o Palácio Nacional da Pena, o Castelo dos Mouros e a Quinta da Regaleira. Puno, Peru Músicos tocam instromentos de sopro típicos da região à margem do Lago Titicaca, durante ensaio para apresentação na festa para a Virgem de Candelária em Puno, no Peru Rodrigo Abd/AP 14% mais barata do que em julho, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Próxima à fronteira com a Bolívia, Puno, no sul do Peru, costuma ser parada obrigatória para quem viaja entre os dois países.

A parte peruana do lago Titicaca e as ilhas flutuantes do local são as maiores atrações em Puno. A cidade também é considerada a capital folclórica do Peru, por conta das inúmeras festas que acontecem por lá. San Andrés, Colômbia 27% mais barata do que em janeiro, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 San Andrés, pequena ilha colombiana, é um paraíso caribenho e seu mar ganhou até um apelido: mar das 7 cores.

A ilha, além das praias de areia branca e coqueiros, tem uma cultura pulsante vinda da mistura cultural entre influências latino-americanas, inglesas e crioulas. Destinos nacionais Patos de Minas (MG) 17% mais barata do que em janeiro, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Cidade bucólica no interior de Minas Gerais, Patos de Minas faz parte do Circuito Turístico Tropeiros de Minas e é famosa pelo turismo rural, seus hotéis fazenda e a gastronomia típica do estado. Vila Velha (ES) 30% mais barata do que em janeiro, que foi o mês mais caro para o destino em 2018 Vila Velha está a 12 km da capital Vitória e tem duas atrações mais visitadas do Espírito Santo: o Convento Nossa Senhora da Penha, uma das construções históricas da cidade, e uma famosa fábrica de chocolates. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário, o Forte de São Francisco Xavier de Piratininga e o Farol de Santa Luzia também atraem centenas de turistas.

Mas o ponto preferido são as praias: a da Costa é uma das mais populares. Farol de Santa Luzia, em Vila Velha Gabriel Lordêllo/ Arquivo A Gazeta